Um lugar para os que são, os que ainda não são e os que não vão chegar a ser, conversarem e trocarem experiências.

Monday, June 18, 2007

A grande Rainha do drama



Quando ele entrou no apartamento, a voz de Maria Rita dizendo que “era uma pena, mas você não valia a pena”, enchia todo a sala. Ainda não era tão tarde, mas o lugar estava escuro como breu. Com muito esforço, conseguiu distinguir um vulto sentado no canto e olhado pra parede vazia.
- Pedro?
O vulto não se mexia.
- Pedro...eu passei a semana toda te ligando, mas você...
Como resposta, apenas a filha de Elis Regina. Aos berros.
- Pedro, cacete!
- O que era, menino? Tô aqui.
- Ai, que susto...então, fale! Fica aí, duro, parado. Pensei que tinha morrido.
- Preferia. Na verdade eu acho que já estou meio morto. Por dentro. Morto por dentro.
- No meu interior o nome disso é frescura. Das brabas.
- Você não me entende, David. Ninguém me entende. Eu só tenho a mim. E a Maria Rita.
As últimas palavras soaram mais ou menos como “Maríia Rida”
- Pedro.
- Oi.
- Faz um quatro aí pra mim.
Pedro levantou o braço na direção de David e estendeu quatro dedos.
- Em pé, Pedro. Com as pernas...
- Não.
- Pedro.
- Oi.
- Você bebeu?
- Um pouquinho.
- Tá bebendo desde que horas, amigo?
- Nem sei mais. Nem sei mais de nada. Nada sei. Desta vida.
- Levanta e se veste.
- Pra quê?
-Não interessa, põe uma roupa bem legal.
- A pessoa que eu queria não quer mais me ver. A minha alma gêmea foi embora. Pra nunca mais voltar. Eu preciso de um tempo pra colocar minha cabeça no lugar.
- Pedro, que dia é hoje?
- 18.
- De que mês?
- Er...Junho
- Você acabou este namoro quando?
- 19...
- De que mês?
- Fevereiro.
- Põe a roupa.
- Não. Me deixa aqui, com a Maria Rita. Daqui a pouco o Cd acaba. Ainda tenho Radiohead , Portishead e Morrissey pra ouvir...
- E a gilete? Já pegou?
- Quem sabe...
- Porra, Pedro! Você vai passar o resto da sua vida se lamentando? Por uma coisa que já acabou faz muito tempo?
- A gente tem um pacto, David. Um pacto de amor. Ficaremos juntos para sempre.
- Isso de pacto é coisa de novela, amigo. De novela mexicana! Isso não existe na vida real!
- Não existe pra você que nunca amou...
- Amei sim. Amei o suficiente pra saber que isso que você está vivendo não tem nada de amor. Amor é troca, Marimar! Lembra desta cena na novela não? Isso de amor unilateral é qualquer coisa, menos amor de verdade.
- Não me chama de Marimar que eu não gosto.
- Mas é isso que você está sendo agora.
- A diferença é que ela terminava a novela com o Pedro Antônio... Luis Gustavo... sei lá. E eu...termino só. Com os meus Cd’s e livros. Bebendo aqui. Numa escuridão tão grande como a da minha alma.
David saiu da sala, apressado, em direção ao quarto. Voltou num pulo com uma camisa e uma calça.
- Veste.
- Hein? O que é isso?
- Calça e camisa, Pedro. Pedro, calça e camisa. Prazer.
- Pra onde a gente vai?
-Conhecer uns amigos de um amigo. Quer o galego ou o moreno?
- Só quero o meu amor de volta, mais ninguém!
- Ai, meu São Sebastião! Eu fico com o galego, pronto.
- Mas...
- Se veste! Agora!
-Não quero! A última vez que eu tentei sair pra algum lugar fiquei chorando na boate quando tocou a nossa música!
- E a gente tem uma música?
- A minha e a de meu amor, otário! –ele suspirou fundo - Não, David. Quero ficar aqui. E chorar...
- Vamos fazer um pacto, Maria Marcedes? Você sai hoje comigo. Só hoje. Nunca mais na vida eu te aperreio. E você não precisa ficar com ninguém. Fechado?
- Tá bom. - ele deu uma olhada nas roupas e fez uma careta- Mas esta roupa tá meio vagaba. Vão pensar que eu estou me oferecendo.
- A idéia é esta.
- Como é?
- Nada.
Pedro e David finalmente saíram. Dentro do carro, David passou a viagem toda dando tapas na mão de Pedro que insistia em colocar na 104.7 FM.
- Você não vai roer mais hoje!
- Mas é a Bethânia!E hoje é o aniversário dela!
- Não quero saber!
Chegaram depressa à nova boate. O amigo de David já estava lá fora. Com os dois pretensos ficantes.
- Demoraram, hein?
- Foi o...o trânsito. Tiago, este é o Pedro de quem eu te falei.
- Prazer – disse Pedro apertando a mão de Tiago.
- Prazer. Estes são os meus amigos. O Hans e o Luís. O Luís é espanhol e o Hans é dinamarquês.
Hans e Luís sorriram meio encabulados, lindos como só alguns estrangeiros conseguem ser.
- Vamos entrando aqui. Fila dos Vip’s. Sigam-me. – Tiago foi tomando a frente.
Ao entrarem, Pedro puxou David.
- Pedro! Você não me disse que o Luís era espanhol!
- Tu fala espanhol, não fala?
- Meu filho, se eu não falasse, aprendia agora!
David sorriu, percebendo que o seu plano começava a dar certo.
A noite começou com Pedro meio morgado, mas a escolha de músicas foi tão sensacional que levantou a moral do moço num instante. Ele acabou por passar a noite toda dançando discretamente com Luís, afinal, a boate não era oficialmente GLS e rindo. Rindo muito. Só saíram pra casa quando o DJ começou a tocar reggae e ameaçou soltar os dobbermans em cima dos que sobraram.
Despediram-se na porta da boate. No caminho pra o carro, Pedro ainda assobiava “because the night”. Ao entrarem no carro, Pedro virou-se pra David, apoiando-se na ponta do banco.
- Migo.
- Oi.
- Sôis foda tu.
- Quéisso. Foi um prazer. Gosto de te ver triste não.
- Valheu...
- Eu pensei que você fosse sair com o Luís. Prum lugar mais tranqüilo...
- Ta doido? Sou um rapaz direito. Não saio trepando na primeira noite não.
- A verdade...
- Tá bom. Peguei o fone dele. Amanhã vou fazer uma visitinha ao moço em seu hotel.
- Sabia! Menino, tão entregando em domicílio agora, é? Olha o sexo turismo, rapaz!
- Com aquele ali, meu filho. Eu ia era numa bandeja.
David fez uma careta.
- Que foi?
- Te imaginei deitado em cima duma bandeja. Nu. Com uma maçã na boca.
- Iéca.
- Vamos indo que o sol já vai sair.
- Vamos, Lestat. Senão você frita. Eu ainda tenho uma ruma de cortina pra abrir. Me empresta uns Cd’s de dance?
- Pode levar o que quiser! Pega um aí na caixinha pra ir tocando logo.
Pedro ficou meio parado um tempo. Depois estirou-se pra pegar uma coisa no banco de trás.
- Deixa eu te mostrar um.
Era um branquinho. Com o perfil de uma moça na capa.
- Porra, Pedro. A fanha de novo?
- Maria Rita não é fanha! Ouve esta faixa.
David olhou o som meio apreensivo até que a moça de perfil começou a cantar.
- Vozinha até boa...
- Presta atenção neste trecho.
“Não há porque chorar por um amor que já morreu, deixa pra lá eu vou, adeus...”
- É isso aí! Já estou vendo a fanha com outros olhos!
- Fanha é o seu rabo! E a pessoa que ouve Pet Shop Boys não pode chamar ninguém de fanho, viu?
- Ei, sacanagem!
Ambos riram. Mas Pedro parou e David continuou rindo. Muito.
- Que foi?
- Tu percebeu o que aconteceu, Maria do Bairro?
- Vai se reiar. – ele ia ficar puto, mas a curiosidade era maior.- O que foi?
- Você terminou com o Luís!
O carro subiu a ladeira do sol. Mas quem ia no banco do passageiro era um novo Pedro. Um cara que tava com muita pressa pra abrir as cortinas.
“... eu vou de vez. Não há porque chorar por um amor que já morreu . Deixa pra lá eu vou, adeus. Meu coração já se cansou de falsidade...”

9 Comments:

Blogger Vilser said...

Olá David, passei por aqui para agradecer sua visita, e quando vi, já estava perdido em seus textos. Muito bons por sinal... Parabéns. Possui um humor fantástico, leve e sensível.
Seja sempre bem vindo ao meu blog.
Quanto à virar desenho, hoje eu não posso prometer, mas um dia... Quem sabe!?!
Forte abraço.
Vilser.

www.vilser.blig.com.br

7:45 PM

 
Blogger FOXX said...

hehehe
adoro seus textos
as referencias são fantásticas
fico morrendo de curiosidade
pra te conhecer pessoalmente...
mas...

8:39 PM

 
Blogger Menino G said...

hauhauah... e não é mesmo?! Eu tb "dou" assim, de ladinho!!!
rsrs... ótimo o seu texto, ri pacas Maria do Bairro!!!

6:10 AM

 
Anonymous Garçom said...

Eu precisava tanto, TANTO ler isso. Você ajudou uma pobre alma, merece ir pro céu e ganhar uma medalhinha do PAN. Obrigado.

12:31 PM

 
Blogger Andarilho said...

Hehehe...gostei do post..., nunca tinha visto Natal por esse ânjulo !!!

Morrendo de rir...

8:31 PM

 
Blogger Kaka said...

Olá David!

Muito obrigado pela visita! E parabéns pelo blog e pela atitude com seu amigo!

Muito Legal seus textos!

Beijo!

8:22 PM

 
Blogger Moura ao Luar said...

Beijo adorei ler

10:00 AM

 
Blogger PH said...

HAHAHAHAHAHAHAHAH "nu com uma maca na boca" ri muito, boa sorte no sexoturimos entao. abraco

7:56 AM

 
Blogger Menino G said...

Oi, querido!!! Ta precisando atualizar! Beijos!!!

PS: Nem preciso dizer que li o conto de novo e amei!!!! srssr...

11:36 AM

 

Post a Comment

<< Home