Um lugar para os que são, os que ainda não são e os que não vão chegar a ser, conversarem e trocarem experiências.

Monday, March 17, 2008

Pô, Marcelão...

É, Marcelão, preciso confessar...Até que eu achava você legal sim. Logo de cara você foi o homem que mais me chamou a atenção na casa. Tudo bem que tínhamos o Fernando, o Rafa Galego. Ah, meu Deus, o galego! Mas quando passou o interesse inicial, quando o verniz daqueles abdomens sarados caiu e deu lugar a um monte de pessoas de plástico com cabeças vazias e imaturas, sobrou você. Charmoso, com um corpo real, peludo e fofo, um ursinho carismático com um sorriso de derreter geleiras.
Você, doutor, foi o motivo de eu assistir o Big Brother, principalmente quando soube, através de um telefonema de um amigo, que você tinha admitido ser gay diante do Brasil todo. Que coragem, hein, doutor?
Foi por você que eu torci quando a casa te deixou meio de lado, quando você enfrentou a mal-amada horrorosa da Thalita, quando você peitou o homem - Lego Fernando.
Mas depois dos gritos de apoio quando os dois saíram, o caldo começou a entornar. E eu fiquei bem decepcionado quando você usou de seus conhecimentos de psiquiatria para provocar o pior que existe em cada um dos brothers da casa. Tá Marcelão, tudo bem que todo mundo foi começando a notar que a Bione é a maior sapa mesmo. O próprio Bial deu altas pistas em vários paredões. Mas precisava colocar a moça contra a parede? Será que ela não teria o direito de se manter na dela? E fala a verdade, querido, você só se meteu na história porque tava afim de Marcos, né não? Será que na guerra vale tudo mesmo?
E Gyselle então? Porra, cara...Começaram tão bem, rapaz. E de repente você se vê em desespero, atacando a moça com algo que ela te disse em particular. Atacando sem motivo nenhum, com o único propósito de provocar, ofender, atingir. E assim que você age profissionalmente também, Marcelo?
Gyselle, no fim das contas, também foi o estopim de um dos mais constrangedores episódios do programa. Aquele no qual você disse que “estava bi”. Como assim, Dr.? O senhorrr não acha que isso de estar bi é papo de adolescente confuso? Os verdadeiros bissexuais são poucos, muito poucos, Dr. Esse papinho aí foi na verdade um pulo pra trás na imagem que as pessoas fazem da gente, os gays. Quando uma mãe ouviu que você estava bi, ela se pegou na esperança do filho dela “se curar”. Ora, se um psiquiatra pode gostar de mulheres, meu filho pode deixar de ser gay, aleluia!
Não importa se você queria ou não queria ser ícone, Dr. Marcelo. Você foi. Não importa se a Globo editou ou não as imagens, porque se você não tivesse dado pano pra manga, eles não teriam o que editar, não é? A sua postura durante o programa acabou se mostrando imatura, insegura, de uma inaceitação de críticas quase sociopática.
Enfim, Dr. É uma pena. Vai ser duro aturar agora você nos programas da Globo criticando acidamente, como bom gay, todos os participantes, quando na verdade a gente sabe que tudo isso não passa de um pungente despeito por ter perdido, por não ter tido a atenção dos homens da casa.
É, Dr. Que sejam poucos os seus quinzes minutos de fama. Poucos como os três que você costumava conceder para que as outras pessoas da casa lhe falassem.

6 Comments:

Anonymous man in the box said...

babado esse blog hein guri?

adorei

abs

1:10 PM

 
Blogger Mans said...

essa bicha é louca!
agora ele quer ser o novo aguinaldo silva
ahuahsuahsaushauhsau

6:53 AM

 
Anonymous RodrigoBrower said...

Depois de ontem na Ana Maria, ele já era na globo!

7:31 AM

 
Anonymous Garçom said...

Ai, eu acho ele tão charmoso...

1:16 PM

 
Blogger FOXX said...

idem
idem
idem

8:16 PM

 
Blogger Ariel Zaneta said...

Idem 1
Idem 2
Idem 3
e Idem 5!

rsrs

10:16 PM

 

Post a Comment

<< Home