Um lugar para os que são, os que ainda não são e os que não vão chegar a ser, conversarem e trocarem experiências.

Thursday, March 27, 2008

Nós


Estávamos frente a frente, como inúmeras vezes.
Nervoso, procurava fugir os meus olhos do seu corpo. Das suas pernas bem torneadas, do volume que se formava naturalmente na parte de frente da sua calça.
Parei, sem palavras, bem diante de um sorriso de dentes bem feitos.
- Um nó de gravata?
Confirmei, sentindo-me meio ridículo com aquele pedaço de pano na mão.
- E você não sabe dar nó em gravata?
A voz me fazia uma pergunta simples, que meu tesão entendia de outro jeito. De outros jeitos.
- Exatamente. Por isso vim aqui a essa hora. Não quero que ninguém saiba que eu não sei dar nó em gravata.
O sorriso. Um sorriso honesto e aberto que entendia muito bem que eu não fui ali dar nó em gravata.
- Todo mundo já foi. Precisei terminar um relatório. Pra amanhã, acredita? A gente recebeu em cima da hora.
Ele dizia isso debruçado sobre o computador. A sua bunda, firme e decidida, se pronunciava sobre a calça fina, de uma boa marca.
Disse também algumas outras coisas mais, só que não ouvi. Andava hipnotizado por aquele traseiro.
- Que nó você quer?
Acordei.
- Como é?
- O tipo. Que tipo de nó você quer.
Um grande, firme e apertado.
- Ah, não sei, um clássico, né?
Ele sorriu mais uma vez. Touché.
- Certo.
Sem pedir licença, ele se colocou por trás de mim com a gravata na mão. Se eu não tivesse de pau duro ia parecer uma cena de um filme antigo de Hitchcock.
- É assim.
Segurou as minhas mãos nas dele e seguiu mostrando o caminho dos lados da gravata. Enquanto eu sentia o leve roçar do tecido da sua calça na minha.
A calça dele estaria menor, como a minha, ou era coisa da minha cabeça? Das minhas cabeças.
Achei que por um instante ele parou, com as mãos sobre as minhas. Senti o calor dos seus dedos e pedi que aquele momento durasse pra sempre.
- É isso. Deixa eu ver como ficou.
Se eu tivesse pensado na hora, não teria me virado, porque, de uma forma ou de outra, meu pau chegaria primeiro.
Mas não pensei. E me virei.
Por um milésimo de segundo, percebi que os olhos dele se voltaram para a minha calça. E o sorriso franco deu lugar a uma leve malícia.
- Gostou?
Gostei. Muito.
Por um segundo paramos e não havia mais nada a dizer. Ou se agiria ou não.
Estávamos no trabalho. Pela primeira vez, raciocinei.
- Ficou ótimo, cara, obrigadão, viu? - disse, meio sem jeito, testando a gravata.
- Aprendeu como se faz um nó? – perguntou, refestelado na cadeira, pernas abertas, era a cara do Denny, o namoradinho de Izzye que morre do coração em Grey´s Anatomy.
- Acho que sim.
- Qualquer coisa aparece. Posso fazer outros nós.
Sorri. Já não tínhamos mais motivos para esconder os paus duros.
Agradeci e me despedi. Mas não precisei me virar para sentir o seu olhar me acompanhando ao descer as escadas.
AMORE, ESSA É UMA OBRA DE FICÇÃO, QUALQUER SEMELHANÇA COM FATOS E PESSOAS É UMA MERA COINCIDÊNCIA

9 Comments:

Blogger LindaRê said...

This comment has been removed by the author.

11:23 AM

 
Blogger LindaRê said...

Uma história e tanto...
bjs

http://devaneiosinsanidade.blogspot.com/

11:24 AM

 
Blogger The Secret said...

Adorei a história. Abraços

5:25 PM

 
Anonymous Khrisna Ferraz said...

Olá,

Tudo bem?

O BLOG TRACKS quer você!

O Blog Tracks é um programa exibido pela DELAS WEB RADIO as terças e quintas. (para saber horários, acesse www.delaswebradio.com.br)

A idéia é transformar os mais variados blogs em edições deste programa.

Você monta a trilha sonora e nós falamos sobre seu blog.

Aguardo contato

Abraços

KHRISNA FERRAZ
k.ferraz@delaswebradio.com.br
BLOG TRACKS
NA TRILHA DO SEU BLOG

A DELAS WEB RADIO, surgiu há aproximadamente um ano e já desponta no mercado como uma emissora inteligente e divertida.

A rádio propõe uma multiplicidade de temas, idéias e programas, cuidadosamente equilibrados e preparados para chegarem ao público de forma clara.

Inspirado pelo fato das mulheres atualmente serem “multitarefas”, ou seja, desempenharem simultaneamente inúmeros papéis na sociedade, como o de esposa, mãe e profissional, o nome DELAS surgiu para fazer jus a esse equilíbrio que o sexo feminino possui.

E, ao contrário do que se possa imaginar, a DELAS não é um típico “Clube da Luluzinha”. A equipe é sim em sua maioria formada por mulheres, contudo, o time da emissora pode ser descrito como fruto da união de profissionais de renome a jovens talentos, sejam eles homens ou mulheres. O que realmente interessa à Rádio é ter em seu casting pessoas que dominam o que falam; são as ações e os programas que delineiam o nosso perfil e propiciam ao público identificação e entusiasmo.

10:15 AM

 
Anonymous Anonymous said...

AMOR ESPERO REALMENTE QUE SEJA S� FIC��O... CUIDADO O PIPI PODER DEIXAR DE EXISTIR... BRINCADEIRA, DEI MUITA RISADA UM DIA VOU VESTIR ESSA FANTASIA S�PARA VOC�... TE AMO!!!!!!

9:52 AM

 
Blogger Adso Eco said...

Tem certeza que é ficção?

7:23 PM

 
Blogger FOXX said...

ficção?
maldade né, david?
maldade!!

6:24 PM

 
Blogger Ariel Zaneta said...

aiiiiiiii fetiche rsrs

abraço!

10:19 PM

 
Blogger Alexandre Lucas said...

Quem nunca usou esse tipo de truque que atire a primeira gravata. KKKK

12:13 PM

 

Post a Comment

<< Home