Um lugar para os que são, os que ainda não são e os que não vão chegar a ser, conversarem e trocarem experiências.

Tuesday, August 12, 2008

Velhos Amigos*



- E aí?

- Como te disse. Fim.

O bar tava quase vazio. O garçom, já com aquela cara de feiticeira vudu amaldiçoando a gente pelas próximas quinze gerações.

- E como você ta?

- Com um pouco de medo. Não por ele. Por mim. Tô me sentindo velho, acabado, e acho que perdi a última chance de ser feliz.

Me controlei pra não rir. Juro por Deus.

- Amigo, drama tem limite, viu? Você fala como se tivesse sessenta e quatro anos.

- Não, querido, você que pensa que a sua juventude vai durar pra sempre! Eu tenho quase trinta, meu tempo tá passando! Não quero ser um velhinho pagando pra sair com boy!

OK. Agora eu ri.

- Amigo, relaxe, você ainda é o boy.

- Mas por quanto tempo?

- Muito tempo ainda.

- Como você sabe?

- Sou médium-vidente. Sei do passado, presente e futuro e trago a pessoa amada até em três dias se morar na grande Natal.

- Olha o royaltee, bee!

- Muito bem, tá entendendo as referências, tá quase voltando a ser o mesmo.

- E o senhor, como tá?

- Tranqüilo.

- Ai, amigo, de vez em quando me dá uma inveja desses seus relacionamentos duradouros, sabe?

- Mas é inveja boa, né?

- Não, querido, é inveja ruim mesmo, daquelas péssimas! De deixar você sozinho no fundo de um apartamento mofado com aluguel atrasado ligado a uma bomba de oxigênio.

Caímos na risada.

- É meu lado sapatão.

- Ah, tá.

Ele calou-se de repente. Ao fundo, apenas o barulho da televisão passando alguma coisa sobre as olimpíadas.

- Você nunca se sentiu só, amigo?

- Vez por outra. Mas eu acho que solidão é coisa que a gente resolve conosco mesmo, sabe? Não depende de outra pessoa não. Aliás, a coisa certa é que a gente não deve depender de ninguém pra nada.

- Que amargura, Gasparetto.

- Não, não me entenda mal. Não é amargura. No fim das contas é praticidade. Porque depois a pessoa vai...

- ...E eles sempre vão...

- E aí? No final tem que sobrar você. E ser bom, sabe?

- Eu sei.

- O problema é essa qualidade de homem que você tá arrumando, rapaz!

- Ai, é?

- É!

- E vai ficar esculhambando o ex, é?

- Papel de amigo! Sempre esculhambar os ex!

E tomamos mais uma vendo o Brasil perder na natação.

-Amigo.

- Oi.

- Você acha que eu vou passar a vida sozinho?

Abri a boca, mas não tive tempo de responder porque o garçom trouxe a conta.

- Rapaz...Que tal passar a noite acompanhado?

- Tá doida, bee? Você é amigayzinho, a gente vai pro inferno!

- O garçom, sua vesga!

- Garçom?

- O garçom não tirou os olhos de você.

- E foi?

- Foi.

- Será que ele precisa de uma carona?

- Provavelmente...

- Você fica muito chateado se eu não for com você?

- Eu dou na sua cara se você for.

- Tá bom, mestre dos magos, seus conselhos como sempre foram sábios.

- A resposta dentro de você sempre esteve, mestre Jedi.

Rimos. Adoro quem entende as minhas referências.

E o vi indo embora com aquele ar de preocupação que sempre foi a sua marca registrada.


Queria ter respostas, amigo. Mas a graça no fim das contas é essa, né?


*Levemente baseado na música "Old Friend" de Ford e Cryer magistralmente declamada por Renato Russo no álbum The Stonewall Celebration

9 Comments:

Blogger Daniel said...

Oi tudo bem?
Apenas para dar um 'oi'.
Uma otima semana e beijo de Londres.
Daniel
www.sembolso.blogspot.com

8:40 AM

 
Blogger FOXX said...

brigado
parece q vc escreveu pra mim
brigado!

5:49 PM

 
Blogger Klero said...

mas conta
e o garçom? que fim levou?
=D

8:22 PM

 
Blogger Mans said...

o garçom era quem?
;P

12:26 PM

 
Blogger Deo Guerra said...

MEU O LANCE DO GARÇON E AI COMO FICA ????????????
O BLOG E MUITO BOM HEHEHHEHEHEH

1:25 AM

 
Blogger The Secret said...

Bárbaro!
Mas e o garçom? Rsrsrs
Beijos

7:40 AM

 
Anonymous Anonymous said...

TODOS PREOCUPADOS COM A HISTÓRIA DO GARÇOM... E EU , AMOR, QUERENDO SABER QUEM SÃO ESSES PERSONAGENS, SEI QUE UM É VOCÊ, MAS E O OUTRO QUEM É?????? ESSA HISTÓRIA ME DEIXOU COM UM PONTO DE INTERROGAÇÃO EM UMA DETERMINADA PARTE... TE FALO PESSOALMENTE...

12:33 PM

 
Blogger Nininha said...

ADORO A MÚSICA MENCIONADA... ME LEMBRA UMA ÉPOCA ADOLESCENTE DA VIDA QUE PENSAVA TER NASCIDO PARA AMAR E NÃO PARA SER AMADA... E ME CONTENTAVA COM ESSA PROPORÇÃO DE DOAÇÃO DESCABIDA...

FORTE ABRAÇO.

5:10 PM

 
Anonymous Anonymous said...

Oi

Blog legal

Acessem o meu tbm

migaah.blogspot.com

3:06 PM

 

Post a Comment

<< Home